Quinta-feira, 12 de Novembro de 2009 – 21h35

Leia nesta edição:

>> Quero Morar na Propaganda do Governo de Sergipe II

------------ ------------ ------------

Quero Morar na Propaganda

do Governo de Sergipe II

Deputado Rogério Carvalho: médico, mestre, doutor em Saúde Pública, professor da UFS, fiscal do Conselho Regional de Medicina de São Paulo. Importado de Ribeirão Preto (SP) para “atuar” em Sergipe, o secretário estadual de Saúde tem desamor pela crítica. O “companheiro” sofre horrores, bate na mesa, fica nervosinho, incontrolável, quando dele alguém discorda ou se lhe divulgam as inúmeras peripécias.

Rogério Carvalho fez publicar no Jornal da Cidade (01/11) um anúncio disfarçado de matéria jornalística no qual sofismava: “Sergipe é o que mais investe em saúde. Proporcionalmente, o Estado está à frente de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais em recursos destinados ao setor”. Diz a “propaganda”, são R$ 300 milhões investidos em 17 novos hospitais, num número inédito de clínicas da família, no aumento do número de ambulâncias do Samu estadual –28 para 59– e na reforma completa do Huse (Mas Não Abuse Porque Não Aguenta).

O Cinform (09/11) resolveu averiguar esse tal “mundo maravilho da saúde pública estadual”, pregado por Rogério Carvalho. Deparou com a calamitosa realidade de sempre. O semanário constatou a flagrante falta de condições de trabalho para os profissionais de saúde. Como atender a população com mínima dignidade se falta até material ambulatorial?

Quero morar na propaganda do Governo de Sergipe. Lá é tudo maravilha. Tão diferente do dia a dia...

Vem de longe o pendor de Rogério Carvalho pela embromação. Basta lembrar dos hospitais construídos por ele quando Marcelo Déda era prefeito de Aracaju. Uma semana depois de inaugurados com shows superfaturados (“Micareta Picareta”, revista Veja de 10/05/2006), foram rebaixados pelo Conselho Regional de Medicina para a categoria “posto de saúde”. Neles faltavam equipamentos básicos para o funcionamento rotineiro de verdadeiros hospitais, como aparelhos de Raio “X”.

Rogério Carvalho adora fachadas pintadas de vermelho e prédios decorados com recepções semelhantes às de hospitais e clínicas privadas. Mas é sovinamente muquirana com o básico: sem estrutura material (equipamentos e medicamentos) e recursos humanos devidamente preparados e dispostos, não se faz saúde de qualidade. Nem aqui nem em Marte –e nem em Ribeirão Preto!

Rogério Carvalho é o fracasso persistente, dotado de impenetrável coro grosso. As mortes de mais de 60 crianças em decorrência da sujeira da Maternidade Hildete Falcão, num período de 60 dias em 2007, caíram no completo esquecimento. Outras dezenas de adultos sucumbiram nas UTI do Hospital João Alves pelo mesmo motivo e ninguém foi punido.

No seu blog (09/11), o jornalista Ricardo Marques*, editor e âncora do SETV, o telejornal da TV Sergipe/Rede Globo, relatou o fato cruel denunciado por uma médica do Huse na semana passada. Dezessete (17) crianças morreram nas últimas três semanas no setor pediátrico do Hospital João Alves Filho, transferido para a antiga Hildete Falcão. Isso mesmo, 17 crianças mortas em apenas três semanas na mesma famigerada, imunda, hedionda Maternidade Hildete Falcão.

A diretora da unidade, Eda Machado, confirmou as mortes e as justificou com singela frieza: “Os óbitos estão um pouco acima da média porque a unidade atende muitas crianças”. Diante de tão macabra imoralidade, Ricardo Marques resolveu procurar a promotora Miriam Tereza no MPE (Ministério Público Estadual), repartição supostamente responsável por fiscalizar os serviços de saúde pública, obrigando-os a funcionar num nível mínimo de civilidade.

Conta o jornalista: “Não sei se foi impressão minha, mas percebi um ar de frustração nas palavras dela. Disse que não poderia ir a todos os hospitais, que era sozinha e pediu para que a população denuncie. Fiquei surpreso com a resposta, afinal é o que a população mais tem feito (...) não dá mais para fazer reuniões e ouvir o mesmo discurso: ‘em 60 dias resolveremos a questão’. É hora de ações mais efetivas, independentemente se vai causar estrago para o governo”.

Eis a questão: enquanto a população pobre experimenta o “projeto de mudança”, emprestando vez por outra até a própria vida, para não lhe estragar o dia, o secretário Rogério Carvalho, que detesta crítica e abomina o contraditório, tem sido poupado de incômodas perturbações.

A saúde pública em Sergipe sempre foi alvo de rotineiras manchetes, fosse quem fosse o governador. Porém, nunca a situação foi tão medonha nem aviltante como na gestão de Marcelo Déda. Na edição de ontem, o Jornal da Cidade** apresenta um resumo das mortes ocorridas na Urgência Pediátrica do Huse entre junho e outubro deste ano: 102 no total. Para o Sindicato dos Médicos de Sergipe, “por ser uma unidade de alta complexidade, o Hospital João Alves Filho deve oferecer recursos e serviços compatíveis à gravidade das patologias dos pacientes”. Traduzindo: se não o faz é por mera incompetência e ponto final.

Diante de quadro tão dolorosamente dantesco, o mundo real ficou insustentável para quem é pobre e depende exclusivamente dos serviços médicos e hospitalares do Governo da Mudança para Pior. A única saída viável é morar na propaganda do Governo de Sergipe. Lá é tudo maravilha. Tão diferente do dia a dia...

Refrescando a Memória – Marcelo Déda recebeu do ex-governo um prédio zero quilômetro onde deveria funcionar o Hospital Pediátrico Dr. José Machado. Rogério Carvalho simplesmente derrubou paredes, modificou a estrutura e transformou o edifício numa nova ala do Hospital João Alves Filho, mandando às privadas o projeto inicialmente concebido. O MPE entrou com ação na Justiça para tentar conter a insanidade, mas acabou “convencido” de que usar a Maternidade Hildete Falcão como unidade pediátrica de urgência seria a solução ideal...

(*) Veja o texto completo de Ricardo Marques e o vídeo com a denúncia da médica em http://ricardomarques.blog.emsergipe.com.

(**) Veja o texto completo do Jornal da Cidade em http://www.jornaldacidade.net/2008/noticia.php?id=47422#T+.

Veja ainda num escrito logo abaixo, sob o título “Quero Morar na Propaganda do Governo de Sergipe”, o vídeo “Quero Morar na Propaganda do Governo da Bahia”, que ilustra com fidelidade como a população daquele querido estado, numa similitude desconcertante com o caos vivido em Sergipe, foi enganada pelo PT de Jaques Wagner.

Terça-feira, 10 de Novembro de 2009 – 00h25

Leia nesta edição:

>> Jackson Barreto é Vaiado por Mais de 600 Vereadores

Também nesta edição: Curtas & Boas

--------------- --------------- ---------------

Jackson Barreto é Vaiado

por Mais de 600 Vereadores

O nobre deputado Jackson Barreto é conhecido no Brasil inteiro pela voz rouca, pela quilométrica ficha corrida e por ter desde muito jovem sabido enfrentar com galhardia situações bastante duras de sua vida. Mas nem mesmo o experimentado JB estaria plenamente preparado para receber “sem vaselina” a vaia mais original jamais dirigida a um político sergipano.

Na sexta-feira, algo como 680 vereadores de todo o estado reuniram-se na Fazenda e Haras Boa Luz. Discutiram sobre a “PEC dos vereadores”, a redução da receita das prefeituras e do orçamento das câmaras municipais para 2010, além da criação da Federação dos Vereadores de Sergipe. Não era o ambiente adequado para Jackson Barreto desfilar a tez ensolarada e a gravata cor de rosa-bebê...

Explico: os deputados federais de Sergipe –a exceção de Albano Franco, que espertamente fugiu do plenário antes do pleito– votaram a favor da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que aumenta em cerca de sete mil o número de vereadores em todo o país. A PEC desagradou sobremaneira os atuais parlamentares, pois ao ampliar as vagas de edis e reduzir o valor do duodécimo, atingirá já a partir de 2012 o ponto mais atraente na carreira de vereador: as verbas de gabinete.

Além de Albano Franco, presente por razões óbvias, o único outro deputado a dar o ar da graça na Boa Luz foi Jackson Barreto. Chegou de surpresa e logo foi convidado pelo dirigente do evento, vereador Emanuel Nascimento, para fazer uma saudação aos presentes. O nobre deputado, contudo, conseguiu apenas balbuciar umas poucas e rápidas palavras. Foi interrompido por uma dilacerante vaia, engrossada pelo coro de quase 700 personalidades.

Visivelmente abalado, e aparentando não ter entendido o motivo para tão avantajada paulada, o outrora sorridente Jackson Barreto fechou a cara, amarrou o rabo entre as pernas e saiu pela culatra do palco, indo refugiar-se bem longe dos olhares da enervada plateia, enquanto Emanuel Nascimento tentava conter os fogosos colegas. Minutos depois, Jackson Barreto sumiu da Fazenda Boa Luz sem deixar rastro...

A questão incômoda é a seguinte: como alguém com o cabedal político de Jackson Barreto, especialmente ele tão calejado no maltrato aos adversários e nas ações de bastidores, permitiu-se ficar frente a frente com uma audiência declaradamente hostil? Como já mencionado, apenas o dúbio Albano Franco, eternamente em cima do muro, poderia enaltecer os vereadores sem risco de levar tomate. Tanto é que nenhum outro deputado federal compareceu ao evento.

Agora, além da cassação do mandato de prefeito de Aracaju acusado de corrupção, da quilométrica ficha corrida que o faz o segundo parlamentar brasileiro no ranking dos fichas sujas no Congresso nacional, da voz rouca e do conhecido gosto por remexer panelas, Jackson Barreto adenda à sua biografia o ignóbil feito de ser o político sergipano que recebeu a maior vaia, não de uma plateia qualquer, mas dos próprios colegas políticos. Essa vai entrar para a História...

Após o evento, Emanuel Nascimento comentou que não havia convidado Jackson Barreto para comparecer a Fazenda Boa Luz por saber da contrariedade dos vereadores com os deputados. Ele foi na cara dura e se ferrou... Tomara que tenha aprendido a lição.

Anjo da Guarda – Pode-se dizer sem medo de errar que o ex-governador e atual deputado federal Albano Franco é um homem de corpo fechado. Minutos antes da votação da “PEC dos vereadores”, o parlamentar foi avisado pela vereadora Mirian Ribeiro que o projeto desagradava 100% dos hoje vereadores e, portanto, Albano Franco deveria dar um jeito de votar contra. Mas se tem o corpo fechado, outra característica inerente ao ex-governador é a dúbia dissimulação. Para evitar dizer “sim” ou “não”, Albano Franco preferiu abster-se. Ficou bem com gregos, troianos e baianos. Ele não é bobo.

** ** **

600 Podem ser 300 Mil – Fazendo uma média, ou seja, somando a votação de um pela do outro, cada vereador de Sergipe recebeu algo como 500 votos para eleger-se. Se multiplicarmos o número de votos dessa minha média pelo número de parlamentares que vaiaram Jackson Barreto na Boa Luz (uns 600, digamos), temos aí o surpreendente saldo de 300 mil eleitores. Traduzindo: como cada vereador representa um número “x” de cidadãos, a vaia recebida pelo probo deputado equivaleria ao repúdio de 1/5 da população eleitoralmente ativa de Sergipe. Que coisa...

** ** **

Quem Seria o Maestro? – A vaia aplicada em Jackson Barreto soou tão uníssona que mais parecia algo ensaiado. Surgiu sem pressa, foi ganhando corpo e contaminou toda a plateia em questão de segundos. Quem teria sido o articulador do repúdio? Melhor ainda, quem teria sido o competente maestro do afinado coral? Sem dúvida, o cara é bom.

Domingo, 08 de Novembro de 2009 – 21h55

Leia Nesta Edição:

>> Conceição Vieira, a Gulosa

>> Quero Morar na Propaganda do Governo de Sergipe

---------------

Conceição Vieira, a Gulosa

A deputada Conceição Vieira já foi acusada pelo líder da oposição, Venâncio Fonseca, de distribuir toneladas de cestas básicas com fins eleitoreiros no interior do estado. O delito? Usar de expediente de assistência social oficial, portanto pago com dinheiro público, para promover-se politicamente.

Secretária de Combate à Pobreza do governo Marcelo Déda, Conceição Vieira exibe desabrida generosidade. Além do obsequioso auxílio das cestas básicas, também ajuda muitos afilhados políticos e apaniguados, empregando a companheirada através de uma ONG cujo nome seria uma piada pronta, não fosse algo divinamente surreal: “Um Lugar ao Sol”.

Especializada em todo tipo de “serviço”, a ONG de Conceição Vieira é um sucesso empresarial. Realiza obras em vários municípios sergipanos, através de convênios com o governo Marcelo Déda. Em Tomar do Geru, por exemplo, “Um Lugar ao Sol” executa serviços de pavimentação, drenagem e implantação de rede de abastecimento de água. Custo da rápida empreitada: R$ 627 mil...

Com tantos recursos de grande impacto eleitoral ao dispor dela, Conceição Vieira poderia dar-se por satisfeita com os votos já garimpados através do uso escancarado da máquina estadual. A nobre deputada, contudo, mostra-se demasiadamente gulosa. Num desses exageros de apetite, acabou acometida de aquosa disenteria, depois de engolir a seco o calendário eleitoral do TSE.

A nobre deputada, apesar da enorme melação, não contava com a presença de gente abelhuda por perto, para trazer à luz suas excrescências na caça aos votos. E eis Douglas Magalhães* a exibir no blog dele os despojos da campanha antecipada de Conceição Vieira: um minitrio com a imagem gigante e o nome da parlamentar, em passeio durante a cavalgada da cidade de Itabí semana passada.

Quem sabe, talvez o Ministério Público Eleitoral pudesse averiguar a quem pertence o veículo e minimamente repreender a deputada Conceição Vieira, relembrando a apressada senhora que somente depois de junho de 2010 fica liberada a propaganda política para todos os pretensos candidatos. Já seria de bom tamanho...

Sim, antes que esqueça. A placa do veículo, conforme pode ser comprovada na foto abaixo, é HZY 2159. Veja ainda outras fotos publicadas por Douglas Magalhães.

(*) Veja mais fotos em http://caranguejonews.blogspot.com.

---------------

Quero Morar na Propaganda do Governo de Sergipe

Trata-se de jocosa paródia. “Quero Morar na Propaganda do Governo da Bahia” é quase um irmão gêmeo de “Quero Morar na Propaganda do Governo de Sergipe”. Este um vídeo imaginário, a apresentar como Sergipe sobrevive sob a égide de Lula da Silva e Marcelo Déda...

O verdadeiro vídeo –hit no Brasil inteiro, mas sobretudo na Bahia– foi visto por exatos 51.221 internautas do YouTube, até o fim da tarde deste domingão. Apresenta, digamos assim, a Bahia real. Não aquela frondosa, o paraíso na Terra, conforme pregam os anúncios do governo Jaques Wagner na TV. Mas a Bahia depois dos petistas.

Semelhante à campanha de Jaques Wagner, Marcelo Déda também adotou em Sergipe o mote da “mudança”. Inventivos, os baianos resolveram prestar uma justa homenagem ao seu governador da mudança para pior, pela “brilhante” administração. Se a similitude com o governo Marcelo Déda chega a ser intrigante, por que não parodiar? Veja o vídeo-sucesso baiano “Quero Morar na Propaganda do Governo da Bahia” (Tempo total: 2’22”) e ria muito. Boa semana a todos.

video
Não consegue assistir? Veja em http://www.youtube.com/watch?v=8ZpyBkln0ew